O que é um implante coclear?

O implante coclear foi desenvolvido para melhorar a percepção dos sons e a compreensão da fala. Ele é um dispositivo eletrônico que faz a função das células ciliadas lesadas ou ausentes, localizadas na cóclea. Este dispositivo produz um estímulo elétrico transmitindo-o às fibras remanescentes do nervo auditivo. O implante oferece ao usuário capacidades auditivas importantes e melhora a comunicação, é eficaz para a perda severa ou profunda da audição em adultos e para perdas profundas nas crianças.

Quais os resultados esperados?

– Níveis de audição social normal, melhora da capacidade para escutar sons da fala e sons ambientais com maior chance de reconhecimento de fala de freqüências altas, ou seja, os sons mais agudos;

– Aquisição da linguagem oral ocorre mais facilmente;

– Melhora a qualidade de vida.

É importante lembrar que os resultados podem variar de indivíduo para indivíduo, dependendo de vários fatores como a causa da perda da audição, o tempo de surdez e a idade em que o implante foi feito. O seu médico poderá lhe orientar melhor quando ao prognóstico esperado.

Qual a diferença entre um aparelho auditivo e um implante coclear?

Os aparelhos auditivos amplificam os sons ou os intensificam. Para uma amplificação adequada os aparelhos convencionais requerem a existência de células na cóclea.

Nos casos de deficiência auditiva severa e profunda, a ausência ou redução do número das células implica em benefícios limitados com o uso do aparelho auditivo.
Um implante coclear não amplifica os sons. Este dispositivo fornece informação sonora útil ao estimular diretamente às fibras neurais remanescentes na cóclea, o que permite à pessoa uma melhor percepção auditiva.

O que é a perda da audição Sensório-neural?

A orelha é composta de três partes: a orelha externa (parte visível que capta e dirige as ondas sonoras), a orelha média (composta pelo tímpano e três ossos muito pequenos: estribo, martelo e bigorna) e a orelha interna (cóclea: estrutura em formato de ‘caracol’). A perda da audição sensório-neural acontece quando a cadeia de pequenos ossos, o tímpano e as membranas do ouvido estão intactos, mas as células ciliadas presentes na cóclea foram lesadas. As células ciliadas lesadas não permitem que os impulsos elétricos cheguem às fibras remanescentes do nervo. As fibras do nervo não têm informação para levar para o cérebro. O termo médico é perda sensório-neural da audição.

Há diversos fatores que produzem a perda sensório-neural, tais como causas genéticas, traumas, doenças, processo natural do envelhecimento ou a administração de medicamentos ototóxicos que são usados para o tratamento das doenças que põem a vida em risco.

Quem são os possíveis candidatos ao implante coclear?

Crianças:

– Perda da audição sensório-neural profunda em ambos os ouvidos;

– Entre 18 meses e 17 anos de idade;

– Nenhuma contra-indicação médica;

– Desempenho igual ou inferior a 30% em condições ideais de amplificação, nos testes de percepção de fala específicos e padronizados para cada idade;

– Familiares altamente motivados e com expectativas adequadas;

– Para crianças maiores: boa compreensão de linguagem através de uma língua formal;

– Falta de desenvolvimento das habilidades auditivas após o uso de próteses auditivas e estimulação especializada.

Adultos com Perda Auditiva Adquirida:

– Idade: 18 anos de idade ou mais;

– Perda sensório-neural severa a profunda em ambos os ouvidos;

– Teste de reconhecimento de sentenças igual ou inferior a 40% com a melhor prótese auditiva disponível no momento;

– Desejo de ser parte do mundo ouvinte;

– Nenhuma contra-indicação médica;

– Boa leitura Oro Facial – LOF;

– Altamente motivados e com experiências adequadas.

Quando devo fazer o implante?

Em geral, quanto menos tempo você ou seu filho estiverem privados do som, maiores serão as possibilidades de êxito. Nas crianças, a demora da implantação do aparelho poderá significar que ela perca um importante período de vida, quando o cérebro é mais perceptivo a aprendizagem lingüística. As pesquisas também revelam que o estímulo elétrico do implante coclear pode reduzir o grau de deterioração do nervo auditivo e do córtex auditivo, que acontece quando o sistema sensorial não é estimulado.

E a cirurgia?

Atualmente, a cirurgia do Implante Coclear é simples. Geralmente a cirurgia demora em média de duas a três horas e o paciente é submetido à anestesia geral, recebendo alta no dia seguinte.

Como funciona o implante?

– Os sons são captados através do pequeno microfone direcional localizado no aparelho do ouvido;

– Uma corda fina transporta o som do microfone ao processador de fala, um poderoso comutador em miniatura;

– Os filtros do processador de fala analisam e digitalizam o som em sinais codificados;

– Os sinais codificados são enviados do processador de fala para a bobina de transmissão;

– A bobina de transmissão envia os sinais codificados como sinais de rádio FM para o implante da cóclea subcutâneo;

– O implante da cóclea libera a energia elétrica adequada para o feixe de eletrodos inseridos na cóclea;

– Os eletrodos, juntamente com o feixe, estimulam as fibras nervosas da audição remanescentes na cóclea;

– As informações de som elétrico resultantes são enviadas através do sistema auditivo ao cérebro para interpretação.

O tempo entre o momento em que o microfone capta um som e quando o cérebro recebe as informações é muito curto, apenas microsegundos, de forma que o usuário do implante ouve sons à medida que eles são emitidos.

Atenção: Todas as informações contidas neste site possuem caráter informativo, não substituindo, em hipótese alguma, as orientações de seu médico.

Copyright © 2015 :: Lavinsky Otorrino - Design By Quanta PPG