Todas as pessoas têm problemas de dor de ouvido quando viajam?

Muitas pessoas têm problemas nos ouvidos quando viajam, e essa com certeza é uma das maiores reclamações das pessoas que viajam muito de avião. Ás vezes, pode se tratar apenas de uma simples dor de ouvido, um breve incômodo mas em alguns casos, ele pode resultar em dor e até mesmo perda de capacidade auditiva.

O ouvido é dividido em três partes, segundo a anatomia: ouvido externo, médio e interno. Ouvido externo é a porção exterior do ouvido, que capta o som e o transmite por um canal ao ouvido médio. O ouvido médio é a porção interna do tímpano, e externo da cóclea, ambos localizados no ouvido. O espaço oco do ouvido médio é também chamado de caixa timpânica. A trompa de Eustáquio se junta à caixa timpânica e a cavidade nasal, permitindo equalizar o ouvido interno e a garganta com o aumento de pressão.

O ouvido interno é composto pela cóclea e pelo aparato vestibular, e serve para transformar a energia da onda de compressão dentro de um fluido em impulsos nervosos que podem ser transmitidos ao cérebro.

É o ouvido médio que é atingido pela altitude e causa o desconforto quando se está viajando de avião, já que é muito vulnerável a mudanças na pressão atmosférica.

Qual a causa do ouvido “bloqueado” durante as viagens?

A trompa de Eustáquio, que fica no Ouvido Médio, pode ser bloqueada ou obstruído por diversas razões. Quando isso acontece, a pressão do Ouvido Médio não é equalizada. A pressão no ouvido médio, em condições habituais, é idêntica à pressão atmosférica do ambiente. Quando estas pressões tornam-se desiguais, pode ocorrer o barotrauma de ouvido médio. As manifestações mais comuns são sensação de plenitude (“enchimento”) e dor no ouvido. A dor de ouvido é um dos problemas médicos mais freqüentes nas viagens de avião. É mais comum em crianças e na presença de condições como infecções das vias aéreas superiores ou alergias.

Que medidas posso tomar para prevenir esse problema?

O risco de barotrauma de ouvido médio pode ser reduzido através de manobras que promovam ativamente a abertura da trompa de Eustáquio. Por este motivo, é importante que o viajante permanecer acordado durante os procedimentos de decolagem e pouso da aeronave. A abertura da trompa de Eustáquio pode ser facilitada através da mobilização dos músculos da mastigação e deglutição ou do aumento forçado suave da pressão da nasofaringe.

• Não dormir durante decolagens e pousos.

• Mobilizar a musculatura de mastigação e deglutição durante os procedimentos de decolagem e pouso (mastigar e deglutir algum alimento, mascar chiclete, beber pequenas quantidades de líquidos). As crianças de baixa idade devem ingerir líquidos (água, sucos) ou serem amamentadas.

• Manobra de Valsalva (expiração suavemente forçada, com a boca fechada e os dedos comprimindo o nariz).

Por que nossos ouvidos ficam “bloqueados” quando viajamos?

A trompa de Eustáquio, que fica no Ouvido Médio, pode ser bloqueada ou obstruído por diversas razões. Quando isso acontece, a pressão do Ouvido Médio não é equalizada. A pressão no ouvido médio, em condições habituais, é idêntica à pressão atmosférica do ambiente. Quando estas pressões tornam-se desiguais, pode ocorrer o barotrauma de ouvido médio. As manifestações mais comuns são sensação de plenitude (“enchimento”) e dor no ouvido. A dor de ouvido é um dos problemas médicos mais freqüentes nas viagens de avião. É mais comum em crianças e na presença de condições como infecções das vias aéreas superiores ou alergias.

Que medidas posso tomar para prevenir este problema?

O risco de barotrauma de ouvido médio pode ser reduzido através de manobras que promovam ativamente a abertura da trompa de Eustáquio. Por este motivo, é importante que o viajante permanecer acordado durante os procedimentos de decolagem e pouso da aeronave. A abertura da trompa de Eustáquio pode ser facilitada através da mobilização dos músculos da mastigação e deglutição ou do aumento forçado suave da pressão da nasofaringe.

• Não dormir durante decolagens e pousos.

• Mobilizar a musculatura de mastigação e deglutição durante os procedimentos de decolagem e pouso (mastigar e deglutir algum alimento, mascar chiclete, beber pequenas quantidades de líquidos). As crianças de baixa idade devem ingerir líquidos (água, sucos) ou serem amamentadas.

• Manobra de Valsalva (expiração suavemente forçada, com a boca fechada e os dedos comprimindo o nariz).

Por que viajar de avião pode causar este problema?

Viajar de avião está frequentemente associado a mudanças bruscas de pressão do ar. Para manter o conforto durante o vôo, a Trompa de Eustáquio deve estar funcionando normalmente – isto é: aberta e equalizando as mudanças de pressão atmosférica que ocorrem no ambiente. Isso é muito importante especialmente quando o avião está aterrissando e vai de uma pressão atmosférica alta para uma mais baixa, já que está se aproximando da pista de aterrissagem.

Como posso “desbloquear” meus ouvidos?

O ato de engolir ativa o músculo que abre a Trompa de Eustáquio. Você engole mais vezes quando tem um estímulo, como mascar chicletes, por exemplo. Isso é um bom ‘antídoto’ para este problema quando se está viajando de avião. Bocejar é ainda melhor, já que também ativa o funcionamento deste músculo. Também ajuda não dormir durante o vôo.

Se engolir saliva e bocejar não ajudarem, o jeito mais eficiente de “desbloquear” seu ouvido é da seguinte forma:

•Segure seu nariz para fechar suas narinas;

•Inspire profundamente pela boca;

•Utilizando os músculos da garganta e bochecha, force o ar para dentro do seu nariz. Quando você escutar um estalido nos ouvidos, o procedimento funcionou.

E sobre o uso de descongestionantes e sprays nasais?

Muitas pessoas que viajam bastante de avião usam descongestionantes ou sprays nasais antes que o avião faça a aterrissagem. Pessoas que têm alergias devem tomar sua medicação no início do vôo para que os ouvidos “desbloqueiem” mais facilmente.
Lembramos que nenhum destes medicamentos deve ser ingerido sem indicação médica e ainda devem ser evitados por pessoas que têm problemas de coração, pressão alta, problemas na tireóide ou até mesmo problemas de ansiedade excessiva.

O que devo fazer se meus ouvidos não “desbloquearem”?

Se, mesmo depois da aterrissagem, seus ouvidos continuarem “bloqueados”, você pode consultar um médico ou tentar usar um spray nasal – cuidando sempre para que seu uso não se torne um hábito. Se a dor insistir, visite um otorrinolaringologista.

Atenção: Todas as informações contidas neste site possuem caráter informativo, não substituindo, em hipótese alguma, as orientações de seu médico.

Copyright © 2015 :: Lavinsky Otorrino - Design By Quanta PPG